Seus resultados de pesquisa

Como usar o FGTS para comprar Imóveis

Postado por Renan Rugolo Ré em dezembro 4, 2020
0

Imóveis são investimentos de longo prazo e que, por sua vez, não são acessíveis como a maioria das pessoas pensa, além do mais são investimentos que demoram anos para quitação e que muitas pessoas conseguem apenas uma vez na vida, entretanto como usar o FGTS para comprar imóveis? Essa é uma das pesquisas mais realizadas nos mecanismos de pesquisa online, justamente porque as pessoas têm dúvidas de como é feito e realizado o procedimento. E nós da Marcelo Fortun, viemos ajudar vocês, que têm interesse em realizar o investimento e imóveis ou, realizar o tão esperado sonho brasileiro, ter a casa própria.

O mercado de imóveis demanda empenho em todos os segmentos da vida das famílias que investem nesse ramo. Seja para adquirir seu primeiro imóvel, seja para investimento à espera de um retorno. Você sabia que o Brasil é um dos países no mundo em que a maioria das pessoas é dona do seu próprio imóvel?

Pois é, pura realidade. E adquirir seu próprio imóvel é um passo grande e que muitas famílias brasileiras tem que fazer diversos cálculos para realizar esse sonho. Apertar o orçamento, fazer horas extras, economizar na pipoca do cinema e nas reuniões aos finais de semana é primordial para fazer com que aquela sobrinha financeira no final do mês seja multiplicada.

Partindo desse ponto de partida, essa matéria informativa fornecida por nós, tem como principal intuito ajudar às pessoas que querem realizar esse sonho da casa própria, mas não sabem como começar. Além do mais, daremos um norte aos nossos leitores em como conseguir comprar sua residência e quais os meios para a realização deste sonho. Como usar o FGTS para comprar imóveis, como conseguir as menores taxas, qual o banco que mais ajuda na compra desse tipo de investimento.

Porque realizar o sonho da Casa Própria?

O mercado de imóveis é um mercado delicado e de extrema importância para qualquer nação. O princípio é o mesmo, a necessidade de moradia. Sendo assim, tudo o que você coloca dentro da sua residência, movimenta diversos setores da economia. Aliás, em síntese, desde a compra do terreno, construção, acabamento e até a mobília da residência, movimentam inúmeros setores da economia e ainda fomentam o desenvolvimento.

Alugar significa depender de terceiros, sejam eles o corretor, a administradora, o proprietário ou o fiador. “Por isso, o ideal é, independente da idade, poupar dinheiro desde cedo para a compra do imóvel próprio. Assim como a casa própria, a independência é um sonho de todos, e esses dois estão muito ligados na nossa sociedade”, conclui Freitas.”
(Fonte: Primar Administradora – Por mercado Imobiliário – Site <https://publicidadeimobiliaria.com/por-que-e-tao-importante-possuir-um-imovel/>)

Partindo dessa questão primordial, o sonho da casa própria é deveras importante, justamente porque contratos de aluguel são um risco para os moradores, concomitantemente por não terem estabilidade e estarem sujeitos à alterações nas cláusulas contratuais. Além de possuírem prazo estimado e dependendo da cláusula, o locatário fica expostos à riscos.

Adquirindo a Casa Própria

Quando vamos realizar a compra de algum produto, como sempre aprendemos em matemática financeira, é interessante guardar dinheiro e realizar a compra à vista. Desta maneira, conseguimos tem poder de barganha para negociar os descontos que envolvem o bem que se tem a intenção de adquirir. Entretanto, quando falamos de imóveis, estamos falando de valores consideravelmente maiores.

Nesta mesma matéria matéria publicada por Sophia Camargo no site da Uol Economia, a autora parte de um exemplo de compra de um imóvel e cita dicas interessantes de especialistas sobre como realizar o procedimento de compra de uma maneira otimizada e segura. São tópicos interessantes sobre o planejamento financeiro adequado, para posteriormente realizar a melhor compra.

  1. Poupe até atingir em média 20% do valor do imóvel.

  2. Sempre poupe 30% da sua renda

  3. Quanto mais poupar e mais recursos tiver em mãos, maior o poder de barganha

  4. Cuidado se estiver no início da carreira

  5. Quem casa, quer casa?

  6. Se morar com os pais e tiver condições, poupe mais ainda

  7. Considere as despesas extras

  8. Poupe dinheiro para as despesas de escritura e documentação

  9. Avalie o custo de onde você vai morar

  10. Financiar costuma ser mais caro que alugar.

Como usar o FGTS para comprar Imóveis

Conforme citamos anteriormente, essas dicas valiosas ajudarão nossos leitores à nortearem um caminho estratégico sobre como conseguir o tão esperado sonho da casa própria. Tais dicas são importantes justamente para dar ao comprador o poder de barganha para que no ato do financiamento, se tenham as melhores taxas de financiamento e o melhor prazo.

Atualmente existe um conjunto de condições que auxiliam o trabalhador brasileiro na compra de imóveis. A Caixa Econômica Federal, fornece em sua página de Habitação, um conjunto de normativos que auxiliam o comprador no processo de financiamento do imóvel através do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS).

Em seu site a Caixa cita que: pode ser realizada a compra de imóveis e construção dos mesmos com o uso do recurso FGTS no momento da contratação do serviço. Além do mais, a amortização ou liquidação do saldo devedor, o FGTS pode quitar total ou parcialmente a dívida do financiamento. Desde que o mesmo seja realizado pelo Sistema Financeiro de Habitação.

Desta forma, realizar um planejamento financeiro não só é importante para conseguir comprar bens e realizar sonhos, mas sim para não ter que ficar a mercê das altas taxas de juros e de situações inesperadas. Estar preparado para as adversidades é importante para a tomada de decisões. Sendo assim, poupar agora é investir no futuro, e investir no futuro é realizar sonhos.

Regulamentos Básicos Para o comprador na íntegra
É preciso ter no mínimo três anos de trabalho sob o regime do FGTS, somando-se os períodos trabalhados, consecutivos ou não, na mesma ou em empresas diferentes.

  • Não possuir financiamento ativo no Sistema Financeiro de Habitação (SFH), em qualquer parte do País.

  • Não ser proprietário, possuidor, promitente comprador, usufrutuário ou cessionário de imóvel residencial urbano ou de parte residencial de imóvel misto, concluído ou em construção, localizado no município de sua atual residência, ou onde exerce a sua ocupação laboral principal, incluindo os municípios limítrofes e integrantes da mesma região metropolitana.”

(Fonte: Caixa Econômica Federal – Página de Habitação – Site <https://www.caixa.gov.br/voce/habitacao/paginas/utilizacao-fgts.aspx>)

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.

Comparar Listagens

Importante: Este site faz uso de cookies que podem conter informações de rastreamento sobre os visitantes.